LIVRARIA CULTURA

domingo, 31 de maio de 2009

Avaliação Postural

AVALIAÇÃO POSTURAL NA ESCOLA
TESTE PRÁTICO EM DOIS MINUTOS
Um tema bastante relevante em termos de saúde são os problemas posturais. Nos últimos anos os problemas posturais vêm aumentando muito nas populações de adultos e crianças. Isso tem chamado a atenção de profissionais das áreas de educação e saúde principalmente pelas conseqüências desses problemas na vida das pessoas e sua interferência no trabalho.
Acredita-se que o papel dos profissionais das áreas da Educação e da saúde junto às crianças e a população de um modo geral, podem ser decisivos e contribuir para a redução das filas do ‘SUS’(Sistema Único de Saúde) destinadas ao atendimento de doenças causadas pelo sistema locomotor. (Ministério da Saúde-2005)
Em suma, o Projeto “AVALIAÇÃO NA ESCOLA” é o de auxiliar os alunos na tentativa de adquirir conhecimentos e atitudes saudáveis tornando-se pessoas ativas fisicamente e conscientes do cuidado do corpo com bom nível de saúde.
Portanto, foi realizado em 2009, na EE Professor José Benedito Gonçalves da cidade de Salto/SP, A II AVALIAÇÃO POSTURAL envolvendo 195 alunos das 4ª séries.
Em 2008 foi realizada a I Avaliação Postural e de acordo com os dados alcançados, entre 99 alunos pesquisados, 55 alunos (55,55%) tinham algum tipo de problema ortopédico leve, (sendo na maioria, os desvios nos ombros), 03 alunos (3,04)% tinham problemas ortopédicos graves e 41 alunos (41,41%) tinham a postura dentro dos parâmetros normais.
Em 2009, na II Avaliação, foram avaliados 195 alunos das 4ª séries do período da manhã e tarde e os resultados foram os seguintes: 104 alunos(53,33%) tinham a postura dentro dos parâmetros normais e 91 alunos (46,67%) tinham algum tipo de problema ortopédico leve, (sendo na maioria, os desvios nos ombros). Diante dos dados, os pais dos alunos foram alertados sobre os resultados da avaliação com o auxilio do “Data Show” durante a reunião de pais e mestres e os resultados pessoais dos alunos (todos com fotos) foram entregues aos pais.
Portanto, as famílias dos alunos com algum tipo de desvio foram orientadas a procurarem um especialista para tratamento adequado. Os pais foram aconselhados ainda a observarem seus filhos durante as atividades diárias e ao primeiro sinal de alteração postural, a ajuda médica é a melhor saída.
CONCLUSÃO: Em relação aos problemas de postura, apesar dos professores terem conscientizados os alunos a respeito de ter uma boa postura, notei que outros fatores são responsáveis pela má postura dos alunos, como: calçados de salto alto, travesseiro alto, modo de sentar a mesa e sofá, modo de dormir, excesso de peso, o longo período que os alunos ficam em frente aos computadores e vídeos games e principalmente o peso e forma de carregar as mochilas.

Muitos autores Entendem que o currículo atual do curso de Educação Física deveria ser atualizado a fim de atender as exigências da saúde pública no Brasil, assim, é necessário que o profissional de Educação Física tenha consciência de sua importância, visando dentre outras, a prevenção.

Para fazer a avaliação foi usado um simetrógrafo (Aparelho para exame ortopédico criado em 1994 na Rede Municipal de Londrina-PR), conforme foto acima e com a ajuda da Profª de Artes, Débora Eliane Bacan Fiúza. Para isso foi usada uma parede (sala dos professores), medindo 1,50 x 2,00 metros com 35 linhas horizontais separadas por espaço de 5 cm e onze linhas verticais separadas por espaços de 10 cm. Na altura do teto até o chão, foi fixado um barbante a 50 cm da parede quadriculada e bem em frente à linha vertical do centro da parede e no chão foram fixados dois moldes para colocar os pés. Desta forma, com o aluno postado atrás do barbante com os pés nos moldes e o professor afastado uns 3 metros do aparelho, foi possível comparar o alinhamento de diferentes partes do corpo com o quadriculado do papel e verificar se a postura estava correta ou não.