LIVRARIA CULTURA

sábado, 3 de setembro de 2011

OBESIDADE INFANTIL:

verificando a estatura
       A obesidade infantil vem crescendo assustadoramente em todo o mundo, com isso é inevitável falarmos nesse assunto. Segundo o Guia Alimentar para a população Brasileira, em pesquisa recente na região sudeste com crianças de 10 anos, 16,9% dos meninos e 14,3 das meninas que estudam em escolas públicas têm problemas de obesidade. Esses problemas quando ocorrem na infância são alarmantes, pois a criança está em fase de crescimento e pode ter comprometido o desenvolvimento normal de sua estrutura óssea. (Ministério da Saúde-2005).
verificando o peso

            Na avaliação biométrica (peso e altura) realizada em 2011, durante as aulas de  Educação Física, foram avaliados 503 alunos(manhã e tarde). Através da tabela de IMC Infantil e de posse do peso e altura dos alunos foi possível Levantar os dados da situação nutricional dos alunos e comparar com os dados dos anos anteriores.
         (OBS: Os testes de peso e altura foram realizados em uma balança doméstica (tipo as de banheiro) e fita métrica fixada na parede).
         Confira abaixo a tabela com os resultados nutricionais de 1.787 alunos avaliados desde 2008.

             O IMC é determinado pela divisão da massa do indivíduo (peso) pela altura².
               Os resultados de 2011 mostram que 180 alunos estão abaixo do peso (35,79%), 224 alunos estão com o peso normal (44,53%), 65 alunos estão pré-obeso (12,92%) e 34 alunos estão com obesidade (6,76%) Verifiquei que dos 503 alunos avaliados, 55,23% estão fora do peso ideal, ou seja, estão na categoria abaixo do peso, pré-obeso ou obesidade e 44,77% estão com o peso normal. A pesquisa mostra que 99 alunos (19,68%) estão acima do peso (pré-obeso ou obesidade).

ESTADO NUTRICIONAL DOS PAIS

alunos calculando o IMC dos pais
            Os alunos das 4ª séries aprenderam a fazer o calculo do IMC e realizaram na sala de aula durante as aulas de Educação Física o cálculo do IMC de 120 pais ou responsáveis (57 homens e 63 mulheres) e os dados apesar de serem semelhantes aos de 2008(163 pais avaliados), são mais alarmantes: 2,50% estão abaixo do peso, 50% estão com peso normal e 47,50% estão com sobrepeso ou obesidade. Confira a tabela abaixo a situação nutricional dos pais ou responsáveis.