LIVRARIA CULTURA

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Olimpíadas da Primavera

I OLIMPÍADAS DA PRIMAVERA
ZEZITO-2008

JUSTIFICATIVA:
Devido a grande participação do mundo na Olimpíada da China que foi considerada a melhor e maior de todos os temos e também com a maior participação de brasileiros da história e a vivência dos alunos da EE Prof. Professor José Benedito Gonçalves através da televisão, jornais, revistas e de trabalhos e pesquisas realizadas sobre o tema, foi realizada na escola durante os dias 10 a 25 de setembro a I Olimpíadas da primavera. Além dos trabalhos realizados com as professoras de sala, os alunos de cada sala fizeram um mural com recortes das imagens das Olimpíadas.

OBJETIVO:
Através de atividades elaboradas de acordo com os jogos, possibilitar nos alunos o seu desenvolvimento físico e mental através de habilidades corporais,
e ao mesmo tempo desenvolver neles o espírito olímpico, onde eles entendam que a vitória não é sinônimo de sucesso e a derrota não é sinônimo de fracasso e para existir um vencedor é preciso haver um perdedor.

METODOLOGIA:
O referido projeto foi realizado por classes e além dos esportes tradicionais, os alunos vivenciaram alguns esportes poucos praticados nas escolas e que fazem parte dos jogos olímpicos, sendo alguns desses esportes a natação e a canoagem (idéia do prof. Luiz Eduardo de Araçoiaba).
Os jogos foram disputados por séries. Ex: cada uma das quatro quartas séries foi dividida em 5 grupos, denominados(América, Oceania, África, Ásia e Europa) e no dia dos jogos todas as salas se dirigiam até a quadra juntamente com as professoras de sala e se dividiam entre os cinco continentes, sendo que cada equipe(continente) tinha alunos de todas as séries, evitando desta forma a rivalidade entre eles. O mesmo aconteceu com as 1ª, 2ª e 3ª séries. Foram elaboradas 09(nove) provas entre essas equipes. Algumas provas já conhecidas tais como: futebol e basquete e outras pouco praticadas como algumas provas “adaptadas” como natação, canoagem, salto em distância e judô. Cada série disputavam 2 modalidades por dia. Todas as modalidades foram divididas em ambos os sexos.

Atividades adaptadas 1: nado crawl (créditos: prof. Luiz Eduardo)
Alunos em cima de um skate tinham que ficar em posição de decúbito dorsal (barriga para baixo) e com tarefa de “nadar” até uma das extremidades da quadra e voltar a sua posição de partida.

Atividades adaptadas 2: nado costas (créditos: prof. Luiz Eduardo)
Alunos em cima de um skate tinham que ficar em posição de decúbito frontal (barriga para cima) e com tarefa de “nadar de costas” até uma das extremidades da quadra e voltar a sua posição de partida.

Atividades adaptadas 3: canoagem (créditos: prof. Luiz Eduardo)
Alunos em cima de um skate tinham que ficar na posição sentados e sem colocar os pés ou as mãos no chão e com o auxilio de um bastão(remo) tinham como tarefa a de “remar” até uma das extremidades da quadra e voltar a sua posição de partida.
Atividades adaptadas 4: judô
Alunos em cima de um colchão(tatame) na posição de joelhos(ajoelhados) sendo um de frente para o outro e de mãos dadas e tinham como tarefa a de fazer com que o adversário cometesse alguma infração, tais como: sentar no calcanhar, levantar o joelho do colchão, sair para fora do colchão, ou ser derrubado. Quem ficar sem cometer essas infrações vence a “luta”.
Atividades adaptadas 5: Salto em Distância
Na falta de uma caixa de areia apropriada para o salto, foi improvisado em um espaço gramado uma local para o salto. No lugar da areia foram colocados colchões para que os alunos pudessem saltar longe e sem perigo de se machucarem.

Atividades adaptadas 6: Revezamento com Bastão
Na falta de uma pista de atletismo apropriada para a pratica do revezamento com bastão, foi improvisada na quadra poliesportiva uma mini pista demarcada por cones e com marcas de fitas nos locais apropriados para saída, entrega do bastão e chegada.

Atividades adaptadas 7: Arremesso de peso
Na falta de um local apropriado para o arremesso de peso e um peso adequado para os alunos, foi usada uma bola de medicinibol e na própria quadra, os alunos arremessavam a bola na maior distância possível.
Atividades adaptadas 8: Basquetebol
Alunos divididos em suas respectivas equipes e divididadas por sexo, tinham que entre as própria equipe ver quem conseguia fazer mais cestas e para representar seu continente na grande final, sendo que cada continente classificou um menino e uma menina para a final.
Atividades adaptadas 8: futebol (pebolim humano)
1) alunos organizados em equipes para jogo; 2) seis cordas dispostas lateralmente pela quadra, na altura da cintura, acrescidos de duas cordas fixas lateralmente nas traves do gol; 3) em cada corda, dois, três ou mais canos(tubos) que possam ser segurados pelas mãos dos alunos. Na corda de cada gol haverá um cano; 4) o objetivo do jogo é marcar gols sem soltar o cano; 5) os alunos só poderão se deslocar lateralmente pela corda, segurando o cano sem soltar as mãos; 6) o início do jogo se dará com a bola lançada pelo professor e o reinício pelos goleiros; 7) as regras usadas são as do futsal. O sistema disputado nesta olimpíada com a modalidade de futebol misto foi o sistema de todos contra todos.
PREMIAÇÃO:
E, para finalizar, assim como nas olimpíadas tradicionais, os alunos também receberam as medalhas de ouro, prata e bronze ao término de cada prova disputada(medalhas oferecidas pela direção da escola Zezito, Diretoria de Itu através da PCOP Cecília Fardo e medalhas confeccionadas na própria escola) ao todo foram distribuídas cerca de 250 medalhas e o mais importante é que os alunos puderam vivenciar dentre as várias atividades, algumas atividades adaptadas que dificilmente daria para realizar nas escolas. No final das olimpíadas foi fixado no mural da Educação Física o quadro de medalhas.

CONFECÇÃO DE MEDALHAS
Um mês antes das Olimpíadas da Primavera, foi realizada na escola zezito uma campanha para arrecadar tampinhas de extrato de tomates para a confecção de medalhas ecológicas.
Foram feitas 150 medalhas como mostra a foto abaixo.
Como fazer: A direção da Escola providenciou 03 latas de tinta splay nas cores ouro, prata e bronze(12,00 cada), 2 rolos de fita azul tafetá medindo 50 cm cada( 7,00 cada), 6 folhas de papel adesivo para fazer as etiquetas das medalhas(1,00 cada), cola quente, impressora para imprimir as etiquetas e mão de obra, totalizando 60,00. Com esse material foi possível confeccionar cerca de 150 medalhas a um custo de 0,40 centavos por medalha. As crianças adoraram.

sábado, 4 de outubro de 2008

Agita Galera 2008

PROJETO: “Aprender com Prazer”
Agitando na Matemática

JUSTIFICATIVA:
Devido a Proposta elaborada pela Secretária de Educação e CENP para a “JORNADA DE MATEMÁTICA”, e o grande envolvimento da escola na elaboração de estratégias diversas de atividades de matemática, surgiu a idéia de realizar durante as aulas de Educação Física na EE Prof. José Benedito Gonçalves na Semana do Agita Galera o Projeto “Aprender Com Prazer”. O referido projeto trata-se de um circuito matemático não apenas recreativo e competitivo, mas principalmente educativo para o desenvolvimento dos alunos nas etapas da Jornada da Matemática.

OBJETIVO GERAL:
Além de conscientizar os alunos a respeito da importância da atividade física, não apenas na idade escolar, mas também para toda a vida. Foi realizado também através de atividades elaboradas juntamente com os professores de sala, e com apoio da direção da Unidade Escolar, diversas atividades que possibilitaram no aluno o seu desenvolvimento mental através de habilidades numéricas.

OBJETIVO ESPECÌFICO:
- Trabalhar os 4 elementos da matemática: adição, subtração, multiplicação e divisão;
- Formas Geométricas;
- Sistemas Numéricos;
- promover a interação no grupo.

METODOLOGIA:
Foi elaborada uma Gincana Matemática em forma de circuito, onde os alunos do período da manhã e tarde, cada um em seu respectivo período, foram divididos em grupos e participaram de várias atividades envolvendo cálculos numéricos, sendo muitas delas elaboradas com o apoio dos professores de sala com atividades físicas elaboradas especialmente para a gincana.

ATIVIDADE Nº 1 - Alvo Matemático:
Alunos do grupo 1 durante a 1ª atividade, onde haviam duas caixas, na primeira caixa tinha vários papéis com nomes de várias formas geométricas e os alunos tinham que pegar um desses papéis, e pegar na segunda caixa a forma geométrica(madeira) indicada e jogar essa madeira tentando atingir a pontuação dentro dos bambolês que valia de 01 a 10 pontos. Ao final do tempo, os alunos sentavam ao redor dos bambolês e contavam quantos pontos haviam feito. Assim que o tempo terminasse(8 minutos) os alunos se dirigiam para a atividade nº 2.

ATIVIDADE Nº 2: Sistema Numérico- Unidade, Dezena, Centena e Milhar. E números pares e impares.
Alunos do grupo 2 deviam correr, sendo um de cada vez, dar uma cambalhota no colchão que estava a uns 5 metros de distância, correr mais 5 metros até uma caixa que continha vários papéis escrito: Unidade, Dezena, Centena ou Milhar. e pegar um desses papel e correr até o ponto de partida e jogar um DADO. Toda vez que o dado com um número caísse virado para cima com um número par, o resultado era somado e toda vez que o dado caísse com o número impar para cima, o resultado era subtraído. Assim que o tempo terminasse (8 minutos) os alunos se dirigiam para a atividade nº 3.

ATIVIDADE Nº 3 Boliche Numerados.
Os alunos a uma distância de 10 metros e com uma bola de basquete tinham que jogar a bola na tentativa de derrubar os cones, sendo que todos os nove cones, sendo que oito deles estavam numerados de 1 a 8 e dentre esses nove cones, havia 1(um) que estava marcado(-5) ou seja quem o derrubasse perderia 5 pontos. A cada derrubada os alunos iam somando ou subtraindo os resultados. Toda vez que um aluno derrubava um ou mais cones, os cones eram colocados no lugar demarcado para nova tentativa. Assim que o tempo terminasse (8 minutos) os alunos se dirigiam para a atividade nº 4.

ATIVIDADE Nº 4Aflições
Os alunos tinham que pegar um número de 01 a 50. E em grupo tinham que através de um cartaz colocado na parede achar os resultados que teriam que estar na seqüência de uma multiplicação e depois uma adição ou subtração. (ex: os dois primeiros números são multiplicados e o terceiro é adicionado ou subtraido para produzir o número do cartão. Os números podem estar na vertical, horizontal ou diagonal, porém próximos um dos outros. assim que o resultado for descoberto, tira-se outra ficha numerada) E soma-se os pontos da equipe. Assim que o tempo terminasse (8 minutos) os alunos se dirigiam para a atividade nº 5.

ATIVIDADE Nº 5Boca do palhaço
Os alunos, sendo que um de cada vez tinha que pegar uma bolinha de plástico numerada com diversos números, e arremessar a bolinha na tentativa de atingir a boca do palhaço. Ao final do tempo os alunos somavam os resultados das bolinhas.
Assim que o tempo terminasse (8 minutos) os alunos se dirigiam para a atividade nº 1.


Após a Semana do agita Galera, as atividades continuaram a ser realizadas na EE Prof. José Benedito Gonçalves, com atividades de Educação Física voltada para a matemática, projeto pipa Consciente, onde os alunos confeccionaram e soltaram as pipas, alongamentos diários para todos antes das aulas e Olimpíadas da Primavera 2008.

Salto, Setembro de 2008.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Oração do Profissional de Educação Física

Dia 1º de Setembro. Dia do Profissional de Educação Física

SENHOR,

- Permitistes que nos fizéssemos professores.
- Que aprendamos primeiro pelo respeito aos seres humanos que entregares ao nosso trabalho e a nossa dedicação:
- Que compreendamos que nossa missão não é de moldarmos super criaturas, que não vejamos apenas o corpo, mas a alma que é sua flama e verdadeira vida, que o adestramento de músculos e a sincronização de movimentos reflitam a indispensável harmonia interior.
- Que sintamos a alegria de recuperar, de consertar, de corrigir e que, além disso, transmitamos a esperança que nasce do saber.
- Que, se há limites máximos para as barreiras dos altos, não as há para o sentimento e para a mente da criatura.
- Àqueles que não tem condições de realizar fisicamente aquilo que teriam direito, possamos comunicar a bravura de não se entregar e o conforto de não abandonar a lista que se confunde com a própria existência.
- Que ensinemos pela voz e pelo exemplo, que a verdadeira liberdade é aquela que respeita princípios que se põe a serviço da harmonia corpo-alma que vive e faz viver.
- Que transmitamos que as maiores vitórias não são as que levam aos ódios, às medalhas e a ovação, mas as que resultam das silenciosas e incomparáveis refregas que se travam no coração e no pensamento.
- Que compreendamos que são diferentes as condições corporais de acordo com as faixas de idade e conforme as muitas variedades antropomórficas, culturais, ambientais, pessoais, sociais, educacionais, mas que o ser em si, é sempre credor de nosso respeito, de nossa dedicação, de nosso trabalho, de nosso afeto, porque estás em cada um e, justamente naquele em que parece mais difícil “encontrar-te” e “revelar-te”.
- E que mais se deve concentrar-se nosso esforço, nosso trabalho e nossa consciência de educadores, já que educar é exatamente “trazer-te” à tona...

SENHOR:

- Tu criastes o ser cujas aptidões físicas nos determinastes que aprimorássemos:
- Que o façamos tomados pelo teu espírito de amor...

Assim seja,

SENHOR!

domingo, 17 de agosto de 2008

Trabalhando o Folclore

Nada se cria, tudo se transforma e permanece fiel à origem,
século após século, no conservado universo das
brincadeiras infantis
.(Marilene Felinto-2000).

Brincando e se divertindo, os alunos aprendem a se relacionar com os outros e descobrir o mundo a sua volta. Por isso é papel da escola garantir espaços para atividades lúdicas, tanto em sala de aula como durante as aulas de Educação Física. Veremos a seguir o resgate de algumas brincadeiras antigas desenvolvidas na EE Prof. José Benedito Gonçalves. Salto/SP

1- AMARELINHA
Com o auxilio de bambolês colocados no chão e numerados com giz conforme a foto. Quem for jogar fica no “inferno” e lança uma pedra, mirando no número 1. (os números podem também serem trocados por letras). Se acertar, pula num pé só no número 2 e depois no 3 e assim sucessivamente até chegar no céu(que também é chamado lua). Para voltar, faz a mesma coisa, abaixando um pouco no número 2 para pegar a pedra que esta no número 1, pulando depois para o “inferno”. Começa tudo de novo, só que, dessa vez, tem que mirar a pedra no número 2 e repetir tudo de novo, até que o aluno erre e passe a vez para o próximo companheiro. Quem sai do jogo, quando volta, começa de onde errou.

2- BARRA MANTEIGA
Separe a turma em duas equipes, que devem ficar a uns 8 metros uma da outra(pode se usar as duas linhas laterais da quadra do voleibol). Os jogadores ficam um do lado do outro, formando uma linha, com as palmas da mão voltadas para cima. Um aluno da equipe ‘A’ vai até a equipe ‘B’ e bate com a palma da mão direita nas mãos dos jogadores da outra equipe. Ele vai batendo de leve e a cada batida vai dizendo barra, de repente da um tapão e diz: manteiga e sai correndo de volta para o seu lado do campo. Quem leva o tapa tem que correr atrás do outro aluno e tentar pegá-lo.
Se conseguir, leva o aluno para sua equipe e vai bater nas mãos da outra equipe. Vence quem conseguir trazer mais adversários para a sua equipe.

3- CINCO MARIAS

Para jogar é preciso ter cinco saquinhos pequenos ou cinco pedrinhas. Depois de segurar as cinco pedrinhas na mão, jogue as para cima com cuidado para elas não se espalharem muito quando caírem no chão. Pegue uma pedra e atire para cima. Você tem que apanhar outra pedra no chão antes de apanhar a que jogou para cima. E assim sucessivamente até terem todas as pedras na mão.(quando for apanhar uma pedra no chão não pode tocar em nenhuma outra) se isso ocorrer deve joga-las para cima de novo. Depois faça um arco com uma das mãos perto de onde estão as pedrinhas e jogue uma pedra para cima. Agora você tem que passar uma pedra por baixo do arco antes de apanhar a pedra que jogou para cima e também não pode tocar em nenhuma outra pedra. Vá repetindo até conseguir ter todas as pedrinhas em sua mão.

4- CORRE COTIA
Fazendo a atividade: alunos em circulo, é escolhido um aluno que deve dar voltas ao redor dos companheiros com um lenço ou bola na mão, enquanto todos cantam: corre cotia na casa da tia; corre cipó na casa da vó; lencinho branco caiu no chão; moça bonita do meu coração. E o aluno escolhido diz: posso correr, todos dizem pode! Aluno: quantas voltas. E todos dizem quantas voltas ele deve dar, e esse aluno da a quantidade de voltas e deixa o lenço nas costas de algum aluno que esta sentado no circulo e de olhos fechados. O aluno que observar o lenço deve pega-lo e correr atrás do aluno e esse deve se sentar no lugar do aluno ao qual ele colocou o lenço.

5- BOLINHA DE GUDE (FUBECA)
Fazendo a atividade: Em local apropriado, com os alunos em duplas com cada aluno com uma bolinha de gude na mão. O jogo consiste em um tentar acertar a fubeca do outro. Quando acertar marca um ponto. Os alunos podem trocar de parceiros quanto houver interesse. Pode-se jogar também em trios, quartetos etc.

6 -RAPOUSA, GALINHA E PINTINHOS
Posição: Em extremidades opostas da quadra(área de gol), marcam-se dois piques. Em cada um deles coloca-se a “galinha”, enfileirando-se no outro os “pintinhos” (que conservam bastante espaço entre si). A meio caminho entre os dois piques, está a “raposa”.
Dinâmica: Para iniciar, a galinha chama: “Venham cá, meus pintinhos”, o grupo (pintinhos) sai todo a correr, em direção à galinha, perseguido pela raposa. Quem é apanhado, antes de chegar ao pique(área), vai preso para a toca da raposa (um canto da quadra ou fica no meio e se transforma em rapousa e passa a pegar os pintinhos). Aquele que, ao procurar fugir, cruza os limites laterais do campo, é considerado prisioneiro ou rapousa. O mesmo acontece a quem não sai do pique.
A fim de reiniciar a brincadeira, a galinha que está do outro lado (pique oposto) faz nova chamada, e assim por diante. Depois que todos os pintinhos forem capturados, galinha e raposa passam a pintinhos, escolhendo-se outros três alunos, para desempenharem tais papéis.

7-MORTO/VIVO E CARECA/CABELUDO
Formação inicial: alunos espalhados em espaço delimitado pelo professor.
Fazendo a atividade: o professor explica a atividade, dizendo que ao sinal do comando ‘MORTO’ todos devem se abaixar e ao sinal de ‘VIVO’, todos devem ficar em pé. Ao sinal de comando de ‘CARECA’, todos devem colocar as mãos no joelho e ao sinal de ‘CABELUDO’, todos devem colocar as mãos na cabeça. Obs: primeiramente o professor deve iniciar somente com morto/vivo, depois somente careca/cabeludo e depois com morto/vivo e careca/cabeludo.

8- QUEIMADA INDIVIDUAL
A queimada é uma brincadeira muito antiga. São várias as formas de queimadas. Uma bastante interessante e que desenvolve bastante o senso de equipe é a queimada individual, onde para se queimar é preciso da ajuda do companheiro. DESCRIÇÃO: este jogo mistura um pouco da queimada e do alerta. Os alunos se distribuem pela meia quadra. Um aluno começa com a bola, e arremessa a bola tentando queimar os outros alunos. Se não pegar em ninguém qualquer um pode pegar a bola e fazer o mesmo. O aluno que for queimado fica sentado no mesmo lugar e mesmo sentado pode receber um passe de alguém e arremessar na tentativa de queimar alguém. REGRAS: quem estiver com a bola não pode se locomover, o que faz com que a tentativa de queimar alguém se torne mais difícil e ele passe a bola para outro aluno que está sentado.

9- CABO DE GUERRA
O professor divide as equipes sendo que cada duas equipes ficarão com uma corda. O professor marca o meio da corda com um lenço e risca o chão para que ambas as equipes mantenham a mesma distância do centro da corda. Ao sinal do professor as equipes deverão puxar a corda para seu lado. Marca um ponto quem conseguir fazer o lenço da corda chegar no espaço riscado no chão do seu lado. Ganha quem marcar três pontos primeiro. Obs: trocar as equipes nas cordas sendo que todas as equipes joguem umas com as outras.VARIAÇÃO: Fazer cabo de guerra sem corda, com os primeiros alunos da fila (conforme a foto) segurando as mãos e os demais segurando na cintura.

10- BRIGA DE GALO
Alunos em duplas, uma de frente para outra de cócoras, sem colocar os joelhos no chão e de mãos dadas(conforme a foto). Ao sinal do professor, os alunos devem fazer força e ter equilíbrio para derrubar o oponente ou fazer com que o mesmo coloque os joelhos no chão. O professor pode fazer essa atividade por pontuação(quem vencer 6,7,8,ou mais vezes, conforme o combinado) ou por tempo, o professor marca 2 minutos e ao final desse tempo vence quem fizer mais pontos.Outra forma de briga de galo é faze-lo com os dedos(conforme a foto), sendo que os alunos deverão ficar uma de frente para outra com as mãos direita dadas e deverão movimentar somente o dedo polegar. Vence quem imobilizar o dedo polegar mais vezes.

11- PEGA-PEGA O RABINHO
Cada aluno recebe uma tira de pano, jornal ou sacola e encaixa a ponta da tira na parte posterior da roupa(calça, moletom, short), formando um “rabinho”. Ao sinal do professor, inicia-se o pega-pega, cada aluno tentará proteger seu “rabinho” e ao mesmo tempo tentar pegar o “rabinho” do outro colega.Regras: o aluno sem rabinho não pode pegar o rabinho do outro colega. A atividade se reinicia quando todos os alunos estiverem sem o “rabinho”.REFLEXÃO: qual a necessidade de uma pessoa se movimentar? Porque você não ficou parado? Há outra situação na nossa vida em que se não nos movimentarmos teremos algum prejuízo.REGISTRO ALUNO: formar a palavra movimento com recortes de jornal.REGISTRO PROFESSOR: auxiliar na formação da palavra “movimento”, junto às letras e mediando o processo de alfabetização.

12- PEGA-PEGA NA LINHA
MATERIAL: quadra com linhas demarcatórias das diferentes modalidades. Ou espaço físico demarcado com giz.FAZENDO A ATIVIDADE: O professor escolhe aleatoriamente um aluno para ser o pegador.(aconselha-se que o pegador tenha uma camiseta ou colete nas mãos para diferencia-lo dos demais) Os alunos e o pegador só poderão andar sobre as linhas da quadra. Ao comando do professor inicia-se o pega-pega. Se o pegador pegar alguém, esse passa a ser o pegador.VARIAÇÕES: posso modificar a maneira de movimentar-se na linha(correndo, pulando, andando). Ou aumentando aos poucos o número de pegadores.

13- GAVIÃO, GALINHA E PINTINHO
Atividade: Forma-se uma única coluna, sendo que todos deverão segurar na cintura do outro, o aluno que ficar postado à frente da coluna será a ‘Galinha’. um aluno ficará fora dessa coluna, este será o “Gavião”, que deve ficar na frente da Galinha devendo se colocar a uma distância de 3 metros. O último da fila será o ‘PINTINHO’.Ao sinal do professor, o GAVIÃO, tenta correr para pegar o pintinho, e a GALINHA se coloca na frente do GAVIÃO na tentativa de proteger o PINTINHO.Os demais alunos deverão se deslocar sem soltar as mãos da cintura do companheiro. Assim que o GAVIÃO pegar o PINTINHO, o professor escolhe outro aluno para representar o papel do ‘gavião, pintinho e galinha’.Variação: pode-se formar duas colunas, dependendo do número de alunos.Reflexão dos alunos: Qual a importância do trabalho cooperativo na execução da atividade?

14- TESOURA, AGULHA, PAPEL E PEDRA
Dividir os alunos em duas colunas, uma equipe A e a outra B, uma de frente para outra a uma distância de 4 metros.DESENVOLVIMENTO: A atividade consiste em TESOURA(vence o papel e perde da pedra e da agulha); AGULHA( vence o papel e a tesoura e perde para a pedra); PAPEL (vence (embrulha) a pedra e perde da tesoura e da agulha); PEDRA( vence a agulha e a tesoura e perde do papel).As equipes combinam os movimentos que irão fazer, se tesoura, com as mãos fazer o movimento de tesoura com o dedo indicador e médio; se agulha, fazer movimento com o dedo indicador; se papel, fazer o movimento com a mão aberta; se pedra, fazer o movimento com a mão fechada. Depois de combinados os movimentos, as equipes voltam para as colunas, sendo que a equipe A fica de frente para equipe B, e ao sinal do professor eles fazem os movimentos combinados. Ganha o ponto de acordo com o que está descrito acima. Se fizerem os mesmos movimentos, as duas equipes ganham o ponto. pode-se fazer primeiramente a atividade em duplas.

15- CORRIDA DE SACO
Ganha quem chega mais rápido, mas nessa corrida ninguém estica as pernas em grandes passadas. O aluno tem que pular feito canguru. Os alunos são divididos em duas equipes divididas em fila em uma das extremidades da quadra. Na frente de cada equipe a uns 10 metros é colocado um cone (dependendo da idade pode-se aumentar ou diminuir a distância). Dado o sinal, o primeiro aluno da fila “veste” o saco e o segura com as mãos na altura da cintura e sai pulando, dá a volta ao redor do cone e retorna até o tempo de saída e em seguida tira o saco e entrega ao segundo aluno da fila. O jogo prossegue até que todos da equipe tenham executado a prova.

16- OUTRAS ATIVIDADES
Pião, pipa, brincadeiras de roda, cantigas, passa-anel, mãe da rua, pique bandeira, esconde-esconde, estátua, balança caixão, cabra-cega, batata quente, pular corda, pé de lata, coelhinho sai da toca, dominó, trilha, damas, etc.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Damas na Escola - uma proposta pedagógica


O jogo de DAMAS é um dos esportes mais praticado no mundo e um grande impulsionador da imaginação, que também contribui no aprendizado dos alunos e no desenvolvimento da memória, da capacidade de concentração e da velocidade de raciocínio e desempenha um importante papel de socialização, por ensinar a lidar com a derrota e com a vitória, mostrando que derrota não é sinônimo de fracasso, nem vitória é sinônimo de sucesso.
Diante disso, esta sendo realizado desde o início do ano na Escola Zezito com os alunos da manhã e tarde um trabalho voluntário com os professores de Educação Física Nilton C. J. Zumba e Eloah Santos. Esta atividade proporciona não apenas mais uma opção de lazer, mas a possibilidade de valorizar o raciocínio através de um exercício lúdico, sempre com ensinamentos da forma mais simples para a mais complexa.
Ao participar das aulas, os alunos da Escola Zezito desenvolvem suas habilidades mentais e psicológicas, tais como: criatividade, raciocínio, memorização, além de ajudar no aprendizado das matérias curriculares e ajuda na resolução de problemas vividos no dia a dia pelas crianças. Além das aulas teóricas e práticas com auxilio de tabuleiros e do computador, os alunos participam de vários torneios, sendo o último realizado no dia 15 de julho.
Segundo Charles Partos, mestre internacional suíço, o aprendizado e a prática do jogo de DAMAS desenvolvem as seguintes habilidades:
A atenção e a concentração; O julgamento e o planejamento; A imaginação e a antecipação; A memória; A vontade de vencer, a paciência e o autocontrole; O espírito de decisão e coragem; A lógica matemática, o raciocínio analítico e sintético; A criatividade; A inteligência; A organização metódica de estudo e o interesse pelas línguas estrangeiras.
Além do que, estimula o hábito de refletir antes de agir e de ensinar a arcar com as responsabilidades dos próprios atos. Resumindo os resultados, conclui-se que o jogo de DAMAS contribui para o desenvolvimento das faculdades mentais.

domingo, 22 de junho de 2008

Educação Física e Saúde

Educação Física Escolar
à promoção da saúde

1-INTRODUÇÃO: Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais, no que se refere à saúde, a escola deve possibilitar aos alunos:
a) Compreensão da saúde como um direito de todos e uma dimensão essencial do desenvolvimento do ser humano; b) A condição da saúde será produzida nas relações com o meio físico, econômico e sócio-cultural; c) Conhecimento, cuidado, e valorização do próprio corpo, assim como a adoção de hábitos saudáveis como um dos aspectos básicos da qualidade de vida e agindo com responsabilidade em relação à sua saúde e a saúde coletiva; d) Conhecer as formas de acesso aos recursos da comunidade e as possibilidades de utilização dos serviços voltados para a promoção e recuperação da saúde.
Levando em conta todas essas informações e sabendo da importância do papel do profissional de Educação Física na tentativa de trabalhar esse tema em suas aulas, foi idealizado o projeto “Educação Física Escolar à promoção da saúde” na EE professor José Benedito Gonçalves na cidade de Salto/SP.
Dois temas importantes nortearam as ações:
Os efeitos da Obesidade infantil e da Postura Corporal na qualidade de vida dos alunos.


2 – OBESIDADE INFANTIL E ÍNDICE DE MASSA CORPORAL (IMC)
1º Passo: Antes de começar qualquer teste, comuniquei aos alunos na primeira semana de aula sobre os testes envolvendo o tema saúde. 2º Passo: Sem mencionar o tema Obesidade infantil, foi realizada em março, entre os alunos das 4ª séries, uma avaliação do peso e altura. Na falta de uma balança adequada na escola, daquelas que indicam o peso e estatura, os testes foram realizados em uma balança doméstica (tipo as de banheiro) e fita métrica (fixada na parede). 3º Passo: Através dos dados do peso e altura dos alunos e de posse do caderno de Educação Física, lápis, borracha, calculadora e da tabela de controle de peso infantil que por sua vez revela se o aluno se encontra dentro dos padrões de peso e altura para a idade e sexos correspondentes. Com o uso destes materiais os próprios alunos fizeram em sala de aula o cálculo do IMC, que é determinado pela divisão da massa do indivíduo (peso) pela altura² e acompanharam na tabela se estavam dentro dos padrões de peso e altura para a idade e em qual categoria se encaixavam. 4º Passo: De posse dos resultados, os alunos ainda se comprometeram a trazer para escola o peso e altura de seus pais para saber em qual condição se encontravam.
( foto 1-pesagem; foto 2-altura; foto 3 e 4-cálculo do I.M.C. na sala de aula).

Foram avaliados 143 alunos de ambos os sexos de quatro 4ª séries, cujos resultados foram: 49 alunos estavam abaixo do peso (34,26%); 71 alunos estavam com peso normal (49,66%); 18 alunos estavam pré-obesos (12,58%); 05 alunos estavam com obesidade (3,50%). 5º Passo: Verifiquei que dos 143 alunos pesquisados, 50,34% estavam fora do peso ideal, ou seja, estavam na categoria abaixo do peso, pré-obeso ou obesidade e 49,66% estavam no peso normal. 6º Passo: Através dos dados coletados as famílias dos alunos foram orientadas a procurar um médico para avaliar a condição nutricional das crianças e os alunos receberam orientações a terem uma alimentação saudável, através das aulas e da palestra de uma nutricionista sobre “Pirâmide Alimentar”.
7º Passo: Com relação aos dados do peso e altura dos pais dos alunos, observei que: 13 pais: sendo 09 mulheres e 04 homens estavam Abaixo do Peso (8,07%); 72 pais: sendo 39 mulheres e 33 homens estavam com o Peso Normal (44,72%); 48 pais: sendo 24 mulheres e 24 homens estavam com Sobrepeso (29,81%); 24 pais: sendo 10 mulheres e 14 homens estavam com Obesidade (14,91%) e 04 pais: sendo 03 mulheres e 01 homem estavam com Obesidade Grave (2,49%). 8º passo: Conclui que dos 161 pais pesquisados (homens e mulheres), 89 deles, ou seja: 55,28% dos pais estavam na condição de abaixo do peso, sobrepeso, obesidade ou obesidade grave e 72 pais, estavam no peso normal 44,72%. Os pais foram informados sobre sua condição pessoal no caderno de Ed. Física de seu filho. 9º passo: Concluí que um número maior de adultos estão fora do peso ideal, sendo que 1(um) entre 2(dois) adultos estão com excesso de peso, enquanto que entre as crianças, 1(uma) a cada 6(seis) estão com excesso de peso. As posições se invertem quando o assunto é a categoria Abaixo do Peso.
foto: palestra sobre Pirâmide Alimentar com a nutricionista Bruna.

3- BOA POSTURA NAS CRIANÇAS E PESO DAS MOCHILAS
Para evitar problemas na coluna das crianças, em primeiro lugar, é preciso ensiná-las a manter a postura correta - para andar, sentar, fazer lição de casa etc. Mas se, mesmo assim, os desvios se instalarem, deve-se agir antes da adolescência - entre 12 e 14 anos -, quando as crianças chegam a crescer em média 20 centímetros, tanto meninos quanto meninas. Quando as curvaturas estão aumentadas ou diminuídas é que surgem os problemas, como explica Mário Sérgio Rossi Vieira, especialista em programas de reabilitação e medicina esportiva.
Ainda segundo Vieira, “outro vilão da postura errada são as mochilas escolares, que sempre estão bem acima do peso recomendado”. O ideal é que a criança carregue no máximo 8% do seu peso. E não adianta ver nas mochilas com rodinhas a salvadora da pátria: elas forçam uma postura torcida, que também é inadequada.
Diante dessa situação, surgiu a idéia de fazer uma avaliação postural, com objetivo de detectar anormalidades na simetria dos segmentos corporais(Rosa Neto, 1991: 30). Sendo assim: O 1º Passo foi realizar no mês de abril a pesagem de 143 mochilas dos alunos das 4ª séries. O 2º Passo Para esse trabalho preventivo, foi fazer com a ajuda da Profª de Artes, Débora Bacan Fiuza, um Simetrógrafo (Aparelho para exame ortopédico criado em 1997 na Rede Municipal de Londrina-PR). Para isso foi usada uma parede (sala dos professores), medindo 1,50 x 2,00 metros com 35 linhas horizontais separadas por espaço de 5 cm e onze linhas verticais separadas por espaços de 10 cm. Na altura do teto até o chão, foi fixado um barbante a 50 cm da parede quadriculada e bem em frente a linha vertical do centro da parede. 3º Passo: Escolhi, com a ajuda da profª de Ed. Física Eloah Santos(período da tarde), a escolha dos 8(oito) itens a serem averiguados, como: Gibosidade(se as duas metades laterais das costas não estão alinhadas); Escoliose(desvio lateral da coluna); Lordose(coluna afundada logo acima do quadril); Cifose(ombros projetados para frente em posição de corcunda); Pés cavos(arco do pé muito alto); Pés chatos (arco interno muito baixo); Pernas em arco(joelhos afastados) Pernas em X (joelhos unidos), Pernas/fêmur(quando o fêmur é maior do que seu par) e Pernas/ tíbia ou perônio( quando um dos dois é maior que seu par). 4º passo: Enviei um comunicado aos pais sobre a avaliação na postura e os trajes necessários para a mesma. 5º passo: Realização da avaliação de 97 alunos das 4ª séries no mês de maio. Os dados coletados individualmente foram repassados na planilha, como no modelo abaixo.
foto 1- painél de avaliação; 2-cifose; 3- Avaliação; 4- lordose; 5-escoliose; 6- ombro desalinhado e joelhos em x.

Nome_______________________ Série_____ Idade: ______ Sexo: M( ) F( )
1)Gibosidade: Sim ( ) não ( )
2)Escoliose: Normal ( ) leve ( ) acentuado ( )
3)Cifose: Normal ( ) leve ( ) acentuado ( )
4)Lordose: Normal ( ) leve ( ) acentuado ( )
5)Pernas(joelhos): Normal ( ) em arco ( ) em x ( )
6)Pés: Normal ( ) chatos ( ) cavos ( )
7)Pernas (fêmur): Normal ( ) direito maior ( ) esquerdo maior ( )
8)Pernas ( tíbia ou perônio): Normal ( ) direito maior ( ) esquerdo maior ( )

Observação:___________________________________________________
____________________________________________________________



Data da Avaliação: ____/____/ 2008. Professor responsável: _________


6º Passo: De acordo com os dados alcançados, observei que dos 97 alunos pesquisados, assustadoramente 56,70% tinham algum tipo de problema ortopédico leve, (sendo na maioria, os desvios nos ombros), 3,09% tinham problemas ortopédicos graves e 40,21% tinham a postura dentro dos parâmetros normais. 7º Passo: Diante dos dados, os pais dos alunos foram alertados sobre os resultados estatísticos da avaliação durante a reunião de pais e mestres e os resultados pessoais dos alunos (na maioria com fotos) foram colados no caderno de Educação Física para serem mostrados aos pais.
Portanto, as famílias dos alunos com algum tipo de desvio foram orientadas para procurarem um especialista para tratamento adequado.
“Uma boa postura pode ser definida como uma atitude onde os segmentos corporais ocupem a posição mais próxima possível da posição de equilíbrio mecânico”. (Teixeira, 1993: 49). foto 1- avaliação Normal; foto 2- pés chatos.


4– PESO DAS MOCHILAS

Na primeira pesagem realizada em abril, antes da avaliação postural, notei que das 143 mochilas dos alunos das 4ª séries, 95 delas (66,43%) estavam abaixo do peso recomendado e 48 delas, (33,57%) estavam acima do peso recomendado. 8º Passo: Logo após a realização da avaliação e conscientização sobre a postura, realizei no início do mês de junho uma nova pesagem das mochilas e observei que o número de mochilas com peso abaixo do peso recomendado aumentou, passando para 120 mochilas (83,92%) contra 23 mochilas (16,08%) acima do peso. “Percebi que através da conscientização dos alunos o peso das mochilas diminuiu cerca de 50%”. 9º Passo: Os pais dos alunos foram alertados através de um comunicado colado no caderno de seu filho e orientados durante a reunião de pais e mestres a verificar a mochila das crianças freqüentemente, pois apesar da orientação dada pelos professores foi constatado que os alunos carregavam materiais além do exigido diariamente pela escola. Os pais foram aconselhados ainda a observarem seus filhos sem roupa durante as atividades diárias e ao primeiro sinal de alteração postural, a ajuda médica é a melhor saída. foto: pesagem da mochila.

05-AVALIAÇÃO:

Os alunos fizeram testes de loteria e relatórios de todos os aprendizados em relação ao tema saúde, participaram de concursos de frases sobre a saúde, de palestras sobre pirâmide alimentar com especialista da área. Alguns pais escreveram no caderno de Educação física relatos positivos da aprendizagem dos filhos e outros fizeram comentários na reunião de pais e mestres. Foi realizada também uma nova pesagem das mochilas, ao qual se percebeu uma redução de 50% do peso. Foi decidido que além dos alongamentos realizados nas aulas de Educação Física, os alunos farão alongamentos diários durante as aulas, para compensar o tempo sentado nas cadeiras e novas pesagem das mochilas serão realizadas. Quanto aos alunos com problemas de peso e ou postura, os pais foram orientados a procurar especialistas da área. O trabalho foi encerrado com a atividade salada de fruta, onde os alunos trouxeram frutas e as mães fizeram uma salada de frutas onde todos puderam saborear uma alimentação saudável.

06 – CONCLUSÃO:

Em relação aos problemas de postura, apesar dos professores terem conscientizados os alunos a respeito de ter uma boa postura e colocar nas salas de aula armários a disposição dos alunos para que eles deixem os materiais, notei que outros fatores são responsáveis pela má postura dos alunos, como calçados de salto alto, travesseiro alto, modo de sentar a mesa e sofá, modo de dormir, excesso de peso, o longo período que os alunos ficam em frente aos computadores e vídeos games e principalmente o peso e forma de carregar as mochilas.
Quanto ao excesso de peso corporal a principal questão esta na forma de se ter uma alimentação equilibrada e saudável.
Saliento a importância da Direção, Professores das 4ª séries, pais e alunos no êxito para a execução do projeto, e ressalto ainda que através de experiência profissional e diversas opiniões de autores, que o estilo de vida na idade adulta é determinado em grande parte na fase escolar. Portanto, crianças com excesso de peso e má postura tem grandes possibilidades de se tornarem adultos obesos e com problemas relacionados ao sistema locomotor, Já as crianças mais ativas, conscientes e com acesso a informações terão maiores chances de serem adultos ativos e saudáveis. Assim sendo o papel do profissional de Educação Física é fundamental.

07 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

2-REVISTA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL / 2001
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome;
3-REVISTA NOVA ESCOLA-abril/1997 pág. 45
Teste Prático de Postura;
4-BORBA, PATRICIA DE CARVALHO SILVA (Monografia *) Janeiro de 2006
A importância da atividade física lúdica no tratamento da obesidade infantil;
5-TABELA DE I.C.M. para crianças
British Medical Journal, 2000.

Profº Nilton Cezar José Zumba - 2008