LIVRARIA CULTURA

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Trabalhando com as Articulações

Essa foi mais uma atividade desenvolvida na EE Prof. José Benedito Gonçalves. É uma seqüência de 04 atividades e a duração é de 50 minutos e tem como objetivo trabalhar com os alunos as partes do corpo, a coordenação, socialização, noção de tempo e espaço e as articulações.
MATERIAL: bexigas e aparelho de som;
1ª ETAPA: É distribuída uma bexiga para cada aluno, eles terão que encher;
2ª ETAPA: O professor delimita um espaço na quadra, ex: meia quadra de vôlei;
3ª ETAPA: A atividade começa com um alongamento ao som de uma música ( cerca de 5 a 10 minutos);
4ª ETAPA: O professor explica a primeira atividade aos alunos, que ao ouvirem a música, os alunos no espaço pré-determinado devem tocar na bexiga somente com as mãos sem deixar cair no chão. A cada momento que a música for interrompida, o professor, deve dar outros comandos, sendo um de cada vez, começando tocando a bexiga com as mãos, depois cabeça, ombros, coxas, joelhos, pés, etc. após trabalhar com várias partes do corpo, o professor coloca a música novamente por dois minutos e deixa os alunos se movimentarem com as bexigas livremente, usando qualquer parte do corpo.( em torno de 20 minutos)
5ª ETAPA: Os alunos são divididos em duas equipes em fileira num dos extremos da quadra. Ao sinal do professor, o primeiro aluno de cada fileira deve correr com sua bexiga na mão na outra extremidade da quadra estourar a bexiga sentando em cima e depois voltar e tocar na mão do segundo da fila e assim sucessivamente, até que todos tenham participado.(em torno de 10 minutos)
6ª ETAPA: volta à calma.( Marionetes) Alunos aos pares sendo um em pé e o outro sentado um de frente para o outro. O aluno que ficar em pé deve movimentar os alunos que estão sentados sem tocá-los, usando apenas os dedos indicadores e polegares (formando uma pinça), nessa atividade os alunos devem permanecer sem conversar, os movimentos devem sem suaves, ao som de uma música relaxante. Após 5 minutos são invertidas as posições dos alunos. (cerca de10 minutos)
7ª ETAPA: Reflexão: Qual a importância da articulação na realização das atividades?
Qual a sensação de poder movimentar o colega? (atividade-marionete). Como foi trabalhar com as bexigas num determinado espaço?
Registro: fazer um relatório sobre a importância da articulação no nosso movimento do dia-a-dia?


Uma Aula Muito Interessante-Ciclo I !!!


Quando em 1997, ao realizar um curso à distância sobre Educação Física relacionada à saúde realizado pela UNICAMP, li num dos módulos a respeito de uma aula dada que achei muito interessante que leva o aluno a compreender o funcionamento de seu próprio corpo em movimento, especificamente do aparelho cardiocirculatório.
A seguir, transcrevo a parte dessa aula ministrada em uma classe de alfabetização de uma escola pública municipal, cuja média de idade dos alunos era em torno de sete anos:

PROF: bom dia, turma! Tudo bem com vocês? Bom, antes de começar a aula, eu queria saber se vocês conhecem bem o corpo de vocês. Vamos ver... Todo mundo aqui tem coração?
TURMA: sim! Responde a turma, com bastante convicção.
PROF: E vocês sabem onde fica o coração?
TURMA: Aqui, ó! – os alunos batem no peito.
PROF: Muito bem! Vamos sentir o nosso coração batendo?
Os alunos colocam a mão no peito para sentir o coração.
PROF: Pessoal, que tal a gente fazer uma experiência com o nosso coração? Vocês topam?
TURMA: Topamos! – responde a turma em coro.
PROF: Então, todo mundo correndo rápido até a parede amarela! Vamos lá! Ida e volta! – grita o professor, gesticulando, procurando incentivar os alunos a correr.
Os alunos vão e voltam correndo.
PROF: quem chegou, coloca a mão no coração! Ele está batendo mais rápido ou mais devagar?
TURMA: mais rápido!
PROF: E o coração do colega? Vamos sentir o coração do colega?
As crianças procuram sentir o coração do colega ao lado.
PROF: Como o coração do colega está batendo?
TURMA: Também está rápido!
PROF: Por que ele está batendo mais rápido?
TURMA: Porque nós corremos!
PROF: Ah, porque vocês correram...Muito bem! E, se a gente ficar parado, o coração vai bater mais rápido ou mais devagar?
TURMA: Mais devagar.
PROF: E por que o coração bate? Quem sabe?
TURMA: Para a gente viver. Se ele parar, já era.
PROF: Muito bem! Vamos fazer outra experiência? Então...Todos correndo rápido até a parede branca!
Os alunos vão e voltam correndo.
PROF: Quem chegou, coloca a mão no pescoço! Estão sentindo alguma coisa batendo?
TURMA: Estamos.
PROF: Quem sabe o que é que está batendo no pescoço?
TURMA: O coração. – Respondem alguns alunos.
PROF: Ué! Tem coração no pescoço?
Os alunos ficam em dúvida. Alguns respondem que não.
PROF: Vocês não me disseram que o coração fica no peito?
Diante da contradição, os alunos são obrigados a rever sua resposta. O professor deve esgotar todas as possibilidades na tentativa de levá-los a saber que o que estão sentindo é o pulsar de uma ‘artéria’, e não o coração.
PROF: Então, o que é que está batendo no pescoço?
TURMA: É a ‘veia’. – respondem alguns alunos.
PROF: É quase isto, só que neste caso chama-se ‘artéria’ e não ‘veia’. Vamos fazer outra experiência? Todo mundo correndo até o poste verde!
Os alunos vão e voltam correndo.
PROF: Todo mundo coloca a mão no sovaco! Tem alguma coisa batendo aí? O que está batendo?
TURMA: Tem. É a ‘artéria’.
PROF: Mas por que a ‘artéria bate’? Será que ela fica rebolando sozinha? – o professor rebola e as crianças riem – quero ver, quem sabe o que é que tem dentro da ‘artéria’?
TURMA: É sangue - respondem alguns.
Geralmente, alguns alunos sabem que há sangue dentro da ‘artéria’. Mas, se ninguém responder, o professor pode partir para a seguinte estratégia:
PROF: Alguém pode me mostrar uma ‘artéria’?
Os alunos mostram, geralmente, a do punho.
PROF: E o que é que tem aí dentro da ‘artéria’ que vocês estão me mostrando?
TURMA: Sangue. – neste caso, é mais fácil para os alunos responderem, porque estão vendo a ‘artéria’ e o sangue que está dentro dela.
PROF: muito bem! E quem é que joga o sangue para dentro da ‘artéria’? Quem sabe?
TURMA: É o coração.
A maioria da turma responde com convicção. Os alunos parecem relacionar facilmente que a batida que sentem na ‘artéria’ provém do coração, que antes sentiram bater no peito.
PROF: Muito bem! Então o coração bate e joga o sangue pras ‘artérias’, certo? – Recapitula o professor.
TURMA: É
PROF: E me digam aqui mais uma coisa, tem ‘artéria’ no sovaco?
TURMA: Tem.
PROF: Tem ‘artéria’ no pescoço?
TURMA: Tem.
PROF: Tem ‘artéria’ na barriga?
TURMA: Tem.
PROF: Tem ‘artéria’ na perna?
TURMA: Tem.
PROF: Tem ‘artéria’ na bunda?
TURMA: (risos)Tem!
PROF: Tem ‘artéria’ no cabelo?
Embora a grande maioria dos alunos responda que ‘não’ alguns dizem ‘sim’ enquanto outros ficam na dúvida. Neste caso, é fundamental evidenciar mais uma vez as contradições para esses alunos:
PROF: Vocês me disseram que tem sangue dentro da ‘artéria’?
TURMA: Dissemos.
PROF: Então, se cortar a ‘artéria’, sai sangue?
TURMA: Sai.
PROF: E quando vocês cortam o cabelo, sai sangue?
TURMA: Não.
PROF: Então, tem ‘artéria no cabelo?
TURMA: Não.
PROF: E na unha, tem ‘artéria’?
TURMA: Também não.
Alguns alunos ainda ficam em dúvida, porque quando cortam a unha sai sangue. Neste caso, é importante esclarecer que o sangue sai porque eles cortam a pele abaixo da unha, e não porque cortam a unha.
PROF: Muito bem! Que turma inteligente! Então, todos aqui já sabem que o coração bate mais rápido quando nós corremos; bate mais devagar quando ficamos parados e, quando ele bate, joga sangue para as ‘artérias’ que estão pelo corpo todo, menos no cabelo e nas unhas. Certo?
TURMA: Certo.
PROF: Que turma inteligente!

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Conhecendo o Corpo Humano

Você cuida do seu corpo?
Saiba que você é muito especial e, por isso, precisa se cuidar!
Cuidar da sua alimentação, da sua higiene, do tempo de brincar, de aprender, de dormir...
Conhecer melhor o seu corpo, conhecer o outro, fazer amigos...
Viver com mais saúde e ser feliz!
Pesquisando, vivenciando, aprendendo esses conhecimentos nas aulas de Educação Física, ajudarão você a ter uma vida mais saudável e cheia de energia.
Vida saudável é algo que se constrói ao longo do tempo.
Vamos aprender juntos?
Vai ser divertido!

Cito aqui, algumas atividades realizadas na EE Prof. José Benedito Gonçalves em Salto/Sp, relacionadas ao corpo humano, vale lembrar que é importante no inicio do ano, o professor dar uma noção aos alunos do funcionamento do corpo humano e ao final de cada atividade fazer a reflexão e o registro por parte do professor e alunos:
...O corpo é compreendido como organismo, integrado e não como um amontoado de "partes" e "aparelhos". Um corpo vivo, que interage com o meio físico e cultural, sente dor, prazer, alegria, medo, etc.
Também sob ótica da percepção do próprio corpo, os alunos poderão analisar seus movimentos no tempo e no espaço; como são seus deslocamentos; qual a velocidade de seus movimentos... (Sistema de Ensino OPET)

1) DESENHANDO O CORPO:
alunos em duplas, ouvindo uma música agradável, sendo que cada grupo fica com giz de cores variadas. Um aluno de cada grupo deita-se no chão e o outro passa a desenhá-la, e vice-versa. Depois colocam alguns detalhes, como: roupas, cabelos, unhas, relógio, óculos, etc.
Quando todos terminarem, os alunos devem andar entre os desenhos, observando os corpos desenhados.
2) PARTES DO CORPO: Alunos espalhados pela quadra em local determinado pelo professor, os alunos ao ouvirem a música, deverão se movimentar andando ou dançando e a cada interrupção da música, o professor diz uma parte do corpo. Ex: ‘ombro’ e os alunos devem ficar em duplas e cada um coloca sua mão no ombro do outro colega. É importante que o professor peça para que os alunos troquem de parceiros a cada interrupção da música. O professor deve falar o máximo de partes do corpo possível, barriga, bochecha, orelha, nariz, etc.
VARIAÇÃO: da mesma forma do exercício anterior, só que desta vez, quando o professor falar a parte do corpo, exemplo: ‘testa’, os alunos deverão colocar testa com testa, e assim sucessivamente até que todas as partes do corpo sejam ditas pelo professor.
3) TRABALHANDO AS ARTICULAÇÕES: O professor explica aos alunos a importância das articulações no nosso corpo, depois pede aos alunos que movimentem os dedos dos pés, tornozelos, joelhos, coxas, quadril, cotovelos, ombros e pescoço. Após a explicação e usando uma música o professor pede para que o aluno mexa com todas as articulações do corpo, começando com os dedos dos pés, depois acrescenta o movimento do tornozelo, depois dedos dos pés, tornozelos e joelhos, e assim sucessivamente, até chegar no pescoço e o alunos tendo trabalhado todas as articulações. A todo momento, o professor deve estimular os alunos para mexer com todas as articulações.
4) PISAR NA SOMBRA: Alunos espalhados pela quadra ou pátio, em local pré-determinado e em local que tenha sol, os alunos de dois em dois. Ao sinal do professor que deverá marcar um tempo para o término da atividade. Começa a atividade com os alunos tentando pisar na sombra um do outro. Ao término do tempo o professor analisa as respostas de quantas vezes os alunos pisaram na sombra. Pode-se fazer essa atividade com música. Ao final, os alunos tentam pisar na sombra um dos outros em um determinado tempo.
5) GATO DOENTE: Formação inicial: alunos espalhados pela quadra em espaço delimitado pelo professor.
Fazendo a atividade: Será escolhido um aluno que será o pegador, sendo que este perseguirá os demais alunos e quando este for pego, deverá colocar a mão no local onde foi pego. ex: se o aluno for tocado na cabeça, este deve colocar uma mão na cabeça e com a outra mão deverá tocar outro aluno ajudando o primeiro pegador na perseguição aos demais, e desta forma tentar pegar outros alunos. Termina a atividade quando todos os alunos se tornarem gatos doentes.
Reflexão: foram trabalhadas várias partes do corpo? Quais?
Qual a importância da ajuda dos outros alunos para a realização da atividade?
A cooperação é importante?
Registro do aluno: divididos em grupos, fazer cartazes com todas as partes do corpo que foram tocadas durante a atividade.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Projeto "Semana da Matemática"

Sabe-se que um dos objetivos da Educação Física Escolar é elaborar atividades vivificantes para a escola com atividades que estimulem o aprendizado e a criatividade dos alunos. Pensando nisso, é realizado durante o ano na EE Prof. José Benedito Gonçalves na cidade de salto/sp, “A Semana da Matemática” com aulas interdisciplinares de Educação Física relacionada com a matemática, trabalhando o raciocínio e contribuindo com a aprendizagem dos alunos, ou seja: o aluno aprende brincando. Exemplos de aulas:
1º modelo: FUTSAL COM NÚMEROS: exemplo; uma classe com 40 alunos, divide-se em duas equipes: ‘A’ e ‘B’ com a equipe ‘A’ numerada de 01 a 20 e a equipe ‘B’ da mesma forma. Os alunos ficam sentados na linha lateral da quadra de vôlei, em lados opostos e ao centro da quadra uma bola de futsal.(conforme a foto) É determinado o lado que cada equipe deve fazer o gol. Assim que o professor falar um número, os dois alunos, sendo um de cada equipe e com o número correspondente deverá levantar-se, pegar a bola e tentar marcar o gol. Pode-se determinar um tempo para marcar o gol. Dependendo da idade e avanço da turma, aconselha-se fazer contas de dividir, subtrair, multiplicar, dezenas, raiz quadrada, etc. ex: 8x2=16, os dois alunos com número 16 deverão tentar fazer o gol. E assim sucessivamente até que todos tenham sido chamados.
2º modelo: FUTEBOL DE VASSOURAS: da mesma forma da atividade anterior, só que no meio da quadra, além da bola deve ficar duas vassouras, assim que o aluno for chamado deve pegar a vassoura e empurrar a bola até marcar o gol. E assim sucessivamente, até que todos os alunos tenham participado.
3º modelo: BASQUETEBOL COM NÚMEROS: da mesma forma do futsal com números, sendo que no meio da quadra deve ficar duas bolas de basquete e é escolhida uma tabela para tentar o arremesso. Vence quem conseguir encestar primeiro. E assim sucessivamente, até que todos tenham sido chamados.
4º modelo: 1, 2, 3, PIM: alunos em circulo no centro da quadra o professor escolhe um número, ex: ‘4’ os alunos não poderão dizer o nº 04 e seus múltiplos. Ex: 1, 2, 3, PIM, 5, 6, 7, PIM... e assim sucessivamente.
5º modelo: FORMAÇÃO DE GRUPOS: alunos espalhados na metade da quadra andando a vontade. O professor diz um número e os alunos formam grupos de acordo com o número de alunos dito pelo professor. De acordo com o potencial da turma deve-se dificultar fazendo contas de dividir, subtrair, multiplicar, dezenas, raiz quadrada, etc. ex: 3x2=06, formando-se grupos de 06 alunos. Para deixar a atividade mais dinâmica, o professor Pode colocar algumas músicas enquanto os alunos andam ou dançam. E quando a musica for encerrada pelo professor, ele fala um número, e assim sucessivamente até o professor disser um número correspondente ao número de alunos e eles formarem uma grande roda.
Obs: Todas as fotos foram autorizadas

DEZ NORMAS PARA A PRÁTICA DA EDUCAÇÃO FÍSICA:
Caros professores, ao entrar no Orkut, numa comunidade de Educação Física, vi postada essas dez normas para a prática da Educação Física, não sei quem é o autor, mas achei muito importante e decidi divulgar a todos.

1 – Aguardar a chegada do professor dentro da sala de aula e em silêncio;
2 – Descer para a quadra organizadamente e em silêncio;
3– Usar uniforme adequado: camiseta, short/bermuda/calça de moleton ou tactel, tênis. Não será permitido o uso de calças e bermudas jeans, saias, chinelos, sandálias e sapatos. Recomendam-se retirar brincos, pulseiras, colares e piercing durante a aula para evitar acidentes;
4 – Durante a aula, saber ouvir e saber falar;
5 – Respeitar o professor, colegas e outros funcionários da escola;
6 – Retirar, utilizar e devolver corretamente os materiais da aula (exemplo: Não chutar bolas que não sejam de futebol);
7 – É proibido pendurar-se nas traves e postes, acertar intencionalmente o colega, danificar os materiais de aula, permanecer em outro local diferente da aula;
8 – No final da aula, utilizar os cinco minutos restantes para ir ao banheiro e tomar água, retornando imediatamente para a sala de aula e em silêncio para não atrapalhar outras classes;
9 – Caso o aluno esteja impossibilitado por problema de saúde de freqüentar a aula de Educação Física, deverá apresentar um atestado médico assinado e datado. Mesmo dispensado, o aluno presente deve assistir à aula;
10 – Qualquer problema de indisciplina grave será levado à direção e/ou coordenação da escola.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Projeto "Show de Talentos"

Foi realizado durante a semana do Dia das Crianças na EE Professor José Benedito Gonçalves(Zezito) da cidade de Salto/SP com envolvimento da direção, professores, alunos e funcionários, o projeto “Show de Talentos”, que teve como objetivo, estimular a parte artística dos cerca de 700 alunos, sendo 350 do período da manhã e 350 da tarde, desenvolvendo assim, suas potencialidades.
Modo de Execução: 1) As idéias do projeto foram transmitidas aos professores no HTPC; 2) Foi escolhida uma data para as apresentações; 3) A divulgação do Show de Talentos foi feita com os alunos 30 dias antes da apresentação, e a proposta era que os alunos realizassem qualquer tipo de apresentação, podendo ser individual, em duplas, trios... – e realizar qualquer tipo de apresentação: cantar, dançar, contar piada, dublar, fazer mágicas, imitações, tocar instrumentos, etc. 4) Os próprios alunos fazem as coreografias, combinam as roupas, maquiagem, músicas, cd, enfim, se organizam entre si. O que certamente estimula a criatividade e o trabalho em grupo. 5)providenciar um palco(caso a escola não tenha) 6)Durante a apresentação os demais alunos ficam assistindo. Não precisa nem dizer. Os alunos adoraram!
------###------###------###------###------
Educação Física: Mudança de Novos Tempos...

Colegas Professores de Educação Física, tive a oportunidade de ler recentemente um artigo denominado CONVERSA ATRÁS DO GOL, de autoria do professor de Educação Física Nilo João Simões de Castro da Diretoria de Ensino de Jacareí, após ter recebido um treinamento na cidade de São Paulo sobre a importância da escrita na nossa profissão e gostaria de repassar este artigo que achei muito interessante.
.
Assim começava o artigo escrito pelo professor Nilo de Castro no ano de 2001.
O assunto que hoje conversaremos: “COMO ESCREVER MELHOR!” Escrever?! – Eu?! – Sou professor de Educação Física e trabalho com esportes e não de Português! Hoje escrever bem faz diferença na vida profissional, não adianta hoje você ter uma POSTURA impecável como professor ao ensinar seus alunos, parabéns por este ensino! – Mas ao preparar um relatório para seu coordenador pedagógico ou seu diretor, e este tiver erros de ortografia, concordâncias erradas, isso sem falar na ausência de lógica e na total falta de encadeamento das idéias, será taxado como “ruim de português”, mesmo nos dias de hoje com a informática prestando ajuda... O colega talvez esteja estranhando estar falando em escrita, linguagem das palavras, como se fosse ATP de Português: “O que tem de ver a escrita com minhas aulas de Educação Física?” – Antes de lhe dar respostas, peço um pouco mais de sua atenção; para se expressar melhor na escrita, existe um segredo, como em tudo na vida, o segredo é o treino... o básico é dominar a linguagem, ou seja, não infringir as regras da língua portuguesa, dou-lhe um exemplo: escrever quiser com “Z”, ou outras barbaridades. Quanto tempo você não tem em mãos um dicionário( Aurélio ou Michaelis), pode até ser aquele velho dicionário que está esquecido no fundo de seu armário. Professor de Educação Física, não vou aprofundar-me, afinal sou também professor de Educação Física, mas temos que RELATAR toda PRODUÇÃO de nosso aluno e como vamos criar o hábito em nosso aluno de registrar suas atividades se nós mesmos quase não registramos as nossas. A Educação Física Escolar está “achando” sua identidade, em breve todo aluno registrará suas produções e nós professores de Educação Física Escolar deveremos estar atentos a esta MUDANÇA DE NOVOS TEMPOS... – então vamos começar desde já a nos preparar, leia, pesquise, registre suas produções e a de seus alunos, vamos mudar nossa postura ainda hoje. Leia com olhar crítico, na dúvida, seu colega da área de Português será seu melhor aliado. Se você conseguiu ler até aqui: PARABÉNS, você está mudando, pois aqui teve início seu treinamento da NOVA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR. Registre tudo desde já, e até um próximo encontro, com CONVERSA ATRÁS DO GOL.

crédito: Professor de Educação Física Nilo João Simões de Castro